Estalos no Quadril - Espaço Manawa - Pilates - Jardins, Metrô Brigadeiro, Paulista

Estalos no Quadril

Imagine a cena: você está no meio da sua sessão de Pilates fazendo algum movimento grande com a perna e de repente você ouve um TOC. Muitos instrutores e praticantes de Pilates já presenciaram essa cena, então hoje vamos falar sobre estalos no quadril!

O estalo que a gente ouve é relativamente comum e pode ter algumas causas. A mais comum delas é quando um tendão, ou músculo, acaba passando por cima de um osso, tensão acaba sendo criada e quando esse tecido se solta, ele faz um estalo. O nome técnico disso é Síndrome do Estalido.

Estima-se que 5% a 10% da população tem essa síndrome sem apresentar nenhum outro sintoma ou dor. Se for esse o seu caso, não há a necessidade de tratamento. Mas um número pequeno de pessoas acaba sendo acometido por alguma dor. O tendão ou o músculo acaba ficando irritado e inflamado conforme esse tecido vai raspando no osso e isso causa dor. As vezes, a dor também pode ser causada por alguma obstrução (um pedaço de cartilagem quebrada por exemplo) dentro do próprio quadril.

Pessoas e atletas que usam muito os músculos flexores do quadril, aqueles músculos que ficam na frente da coxa e quadril, são geralmente os que mais sofrem com os estalos no quadril. A sobrecarga exercida nesse grupo muscular, se não compensada de forma correta, pode acabar deixando-os encurtados e os estalos podem ser dolorosos. Isso pode ser uma forma do seu corpo pedir um tempo para descansar ou é um sinal de que tá na hora de mudar um pouco a sua rotina de exercícios. Situações em que permanecemos por um tempo prolongado com essa musculatura numa posição encurtada e tensa também podem aumentar a ocorrência de estalos no quadril.

Perfeito, sabemos a causa, agora vamos pensar em algumas possíveis soluções…

A primeira coisa a fazer é perceber como o movimento está sendo executado. Movimentos muito rápidos e grandes podem fazer com que o músculo tensione, aumentando as chances do estalo. Vamos começar diminuindo a velocidade, amplitude e a carga. Isso vai distribuir melhor o trabalho daquele grupo muscular para outros grupos menores, os estabilizadores, diminuindo assim toda aquela tensão que causa muito dos estalos.

Incorporar exercícios que abram o quadril, alongando os flexores do quadril enquanto fortalecem os extensores, também é uma ótima opção. Ao trabalhar e fortalecer a musculatura antagonista (que trabalha em oposição a ação daquele músculo, nesse caso os extensores do quadril) ajuda a relaxar a musculatura agonista (o músculo que exerce a ação, nesse caso os flexores do quadril).

Semana que vem volte aqui para ver alguns exemplos de exercícios que nos ajudam a aliviar os estalos no quadril.

Gostou das dicas, quer mais?! Envie sugestões de temas e venha conhecer o nosso trabalho no Espaço Manawa!


Interaja com a equipe Manawa!